terça-feira, 18 de julho de 2017

Filmes e Séries: Skam



Como já sabem, se há coisa que não me canso de fazer é ver séries e, por isso mesmo, hoje trago-vos uma de nacionalidade Norueguesa. Não sou muito de ver séries em línguas que não entendo, até porque prefiro estar mais atenta ao que as personagens estão a dizer, do que a ler as legendas, mas recomendaram-me que desse uma chance a esta e assim o fiz.

Skam, começou em 2015, tem um total de quatro temporadas e conta o dia a dia de alguns adolescentes noruegueses. Esta série tem uma particularidade especial, visto que cada temporada é baseada numa personagem especifica daquele determinado grupo de amigos, o que nos dá um olhar um pouco mais especifico nessa mesma personagem.

A primeira temporada é talvez a melhor, pois apesar de nos dar a conhecer a personagem na qual se baseia, mostra-nos um pouco de todas as outras. Eva é a personagem principal desta temporada, e conseguimos ver e perceber toda a sua relação com o seu namorado e com os seus amigos, incluindo alguns problemas que ela tenta enfrentar.

A segunda temporada é um género de continuação da primeira mas, em vez de girar em torno de Eva, conta um pouco da história de Noora, outro membro do grupo de amigos de Eva, e que vive com dois amigos. Nesta temporada conseguimos também perceber um pouco do que se passa com as outras personagens.


A personagem representada por Tarjei Sandvik Moe é a principal da terceira temporada, e baseia-se na sua nova relação e nos preconceitos que tem que ultrapassar para ser feliz, juntamente com uma data de outros acontecimentos que o levam a duvidar de si mesmo.

A quarta e final temporada conta-nos a história de Sana e de como ela convive com os outros, sendo ela muçulmana e estando a tentar viver uma vida normal que não quebre as regras da sua religião, tendo em conta as ações e modo de vida daqueles que a rodeiam. 

O último episódio mostra-nos um pouco de cada personagem e, apesar de conclusivo, traz-nos imensas surpresas!

Em geral, gostei imenso da série e sugiro a todos que a vejam, pois retrata vários acontecimentos e situações do nosso dia a dia, e ajuda-nos a perceber que nem todas as pessoas são realmente quem parecem ser, tanto para o bem como para o mal. Mostra-nos uma visão mais íntima e pessoal daquilo por qual as pessoas estão a passar, levando a que as pessoas que a assistem criem novas opiniões à cerca de certas pessoas ou determinados grupos. 

Vocês já conheciam esta série? Que outras séries vêm ou planeiam ver?

segunda-feira, 12 de junho de 2017

ACMA: A Queima das Fitas de Évora


O A Cultura Mora Aqui está de volta ao blog, com mais um tema que dá muito que falar, Festas e Festividades. Como seria de esperar e, estando nós na altura em que estamos, vim falar-vos da Queima das Fitas de Évora e da sua tradição, que poucas pessoas conhecem.

Muitas das Universidades são conhecidas pelas suas semanas académicas e Évora não é exceção, com passagens dos cantores Diogo Piçarra, David Carreira e a banda Amor Electro, este ano a festa foi abençoada (mais para uns, que para outros). Além do Cortejo Académico que sucede todos os anos, a Universidade de Évora tem uma tradição especial no que toca à Queima das Fitas, um ritual que se realiza à demasiados anos para serem contados.


No dia da sua Queima das Fitas o finalista deve vestir o seu traje e fazer-se acompanhar da sua Colher de Pau, rodeada de fitas (da cor do seu e de outros cursos), ou da sua Pasta, com as fitas cuidadosamente penduradas, até à Igreja da Sé, onde essas mesmas fitas serão abençoadas. A partir do final das missa os finalistas estão livres para almoçar e passar o dia com familiares e amigos, é às seis da tarde que a queima realmente começa.

Após o seu curso ser chamado, o finalista espera numa fila, nos Claustros do Colégio Espírito Santo, acompanhado pela pessoa que escolheu ser o seu Padrinho ou Madrinha de final de curso. De seguida, junta-se à Reitora numa mesa e, acompanhado desta e de outros membros do conselho, bebe um copo de vinho tinto. Juntos, o finalista e o seu Padrinho avançam para as escadarias e o Padrinho queima a fita que ofereceu ao agora afilhado.

Quando queimada a fita, o finalista avança para um género de pódio, onde quadro pessoas da sua confiança, escolhidas por si mesmo, o esperam e, pegando-o ao colo, atiram-no para uma piscina, onde este deverá deixar alguma da sua sabedoria que, nos anos seguintes os caloiros irão adquirir após colocarem o seu pé na fonte (mas isso é tema para outra publicação!).


Apesar de rápido, este é um ritual único e que pretende simbolizar o fim de um ciclo da vida que levará à abertura de novas oportunidades, uma nova forma e motivação para o início de uma importante fase da sua vida.

Eu terminei agora o primeiro ano e, por isso, ainda não traje e ainda tenho dois anos académicos pela frente antes da minha queima, no entanto, estou bastante ansiosa, pois é uma tradição da qual quero fazer parte e que espero que perdure durante muitos anos.

E vocês, que tradições académicas realizadas na altura da queima das fitas conhecem? Quem sabe, até podem partilhar as vossas experiências no ACMA, ou até mesmo falar de outros assuntos! Se quiserem juntar-se ao projeto basta enviarem um e-mail para acma.cultura@gmail.com e combinar tudo com as nossas organizadoras! É importante ter em atenção que não falaremos de assuntos relacionados com moda, beleza ou outros assuntos do género, no entanto, daremos uma maior importância a assuntos mais gerais e culturais.

terça-feira, 9 de maio de 2017

DIY Presente de Aniversário

Se há algo de que todos gostamos é receber um miminho de vez em quando, e se puder ser algo dado com carinho então ainda melhor! Eu adoro receber prendas e, apesar de nunca saber o que dar, vejo também um encanto especial em oferecer algo a outras pessoas. Raras são as vezes em que sei aquilo que quero oferecer, principalmente quando se aproxima o aniversário de pessoas que me são próximas e, na maioria das vezes, acabo por deixar para última hora.

Por isso mesmo, e por não saber se vocês são como eu, decidi partilhar esta ideia convosco, uma prenda simples e divertida que podem dar a uma amiga, esteja ela perto ou longe! Algo que podem oferecer à vossa internet friend, se quiserem!

A minha ideia inicial era comprar uma malinha e colocar algumas coisas lá dentro, mas rapidamente percebi que nem tudo cabia dentro da mala que comprei e alterei o plano. Adicionei um bloco de notas, um marcador de livros super querido, uma amostra de um perfume e uma capa para o telemóvel da pessoa a quem ofereci a prenda.


Juntei ainda um setting spray para a maquilhagem e uma caixa, onde coloquei um verniz branco matte, uma lima para as unhas, um espelho e uns brincos, pondo ainda alguns dos meus doces favoritos no fundo da caixa.

Coloquei todas as prendas nos seus devidos sacos e, só porque sou viciada em gomas, decidi enviar um pacote também. 



Por fim, enchi vários balões de tamanho pequeno e pus o maior número deles possível na caixa, pondo a minha carta por cima, de modo a dar o ar alegre àquele que seria o seu presente de aniversário.

Para finalizar, encontrei o papel de embrulho mais bonito que tinha em casa e forrei a caixa, para que não parecesse uma caixa tão mal!


Foi a primeira vez que fiz algo do género para dar a alguém, mas tenho mais algumas ideias em mente (quem sabe, posso até partilhá-las convosco!). E vocês, o que costumam dar aos vossos amigos e família, pelos seus aniversários!? 




domingo, 9 de abril de 2017

Mereces viver além daquilo que a noite escura tem para te dar

Deitas-te na cama que ele te fez, não na que tu fizeste. Mas qual seria a diferença? Magoas-te consequentemente, dia após dia, e não aprendes. Quero que aprendas. Mereces mais que ele. Mereces acordar e viver além daquilo que a noite escura tem para te dar. Mereces a luz do dia e o cheiro que as flores te trazem de manhã ao levantar. Mereces carinho e tudo aquilo que não tens, exceto ele. A ele não o mereces, porque coisa tão boa não poderia merecer algo tão ruim; pelo simples facto de ele não te merecer a ti, e só a ti. Ele não merece alguém que pense nele a todo o momento, alguém para quem importe mais que tudo, alguém cujo o olhar brilhe e o sorriso nasça à sua vista.

Desejas (oh, e como desejas!) que esse vosso amor seja tão verdadeiro e romântico como o de Romeu e Julieta uma vez foi, um amor sério e com um toque de fantasia histórica; mas isto é real. Não fazes parte de um conto de fadas e ele não é o teu príncipe; ele é a rainha má, que sempre que te vê trás consigo uma maçã envenenada, cheia de expetativas e esperanças, vazia de amor e carinho.

Mas o que não sabes, é que o príncipe - sim, o verdadeiro -, esse ainda está para te salvar, com um leve beijo nos lábios e um toque mágico que te fará voar até às nuvens. Não terás que esperar muito, só o suficiente. E garanto-te, o suficiente será sempre suficiente. Passarão horas, dias, semanas, meses, anos, não importa. O infinito é suficiente para o destino vos juntar. Não a ti e à rainha, mas sim ao príncipe, aquele que ainda não notaste, mas que estará lá. Sempre a cuidar de ti, e só de ti. Da pura e bela doce menina que és. E tu também cuidarás dele. Vai ser difícil, os príncipes não são fáceis de aturar; mas lembra-te que tudo o que fará será sempre por ti e para ti.

quinta-feira, 23 de março de 2017

ACMA: 5 Maneiras de Aproveitar a Primavera


ACMA


Tal como no mês passado, hoje estou de volta com a minha publicação para o ACMA e venho dar-vos algumas ideias de como aproveitar os próximos dias.

Chegou, finalmente, a altura do ano por que tanto esperava: a Primavera! Não é surpresa o meu gosto por esta estação e cada vez me vejo mais entusiasmada para os 92 dias que se seguem (bom, agora só serão 89!) e para aquilo que quero fazer de modo a aproveitar esta que é, para mim, a mais bela estação do ano.

Tenho imensas ideias e, tal como fiz no ano passado, pretendo dar vida a todas, de modo a alegrar a minha vida com um pouco do que é a Primavera e, por isso, hoje tenho para vocês 5 maneiras de aproveitar a Primavera.

Infelizmente, esta estação não significa férias, apesar do termo Spring Break, utilizado nos Estados Unidos, e, por isso, tem que se encontrar o equilíbrio ideal entre aproveitar para fazer aquilo que se pode fazer e aquilo que temos realmente que fazer – ou seja, ir às aulas ou trabalhar. No entanto, estas são pequenas coisas que se podem enquadrar em qualquer parte livre do dia! Tudo pronto? Aqui vamos nós!

 
ORGANIZA O TEU QUARTO

Pode parecer chato, mas esta é a melhor altura do ano para limpar e organizar a nossa casa e o quarto, apesar de sofrer grandes alterações durante todo o ano, não é exceção. Há sempre alguma coisa a fazer: mudar os móveis de sítio, deitar fora (ou dar, ou vender!) coisas que já não façam falta, como peças de roupa ou livros, doar todos os brinquedos guardados nas caixas, pendurar fotos nas paredes ou até mesmo trocar a colcha da cama por uma mais clara e fina, de modo a dar uma outra vida ao espaço no qual passamos a maior parte do nosso tempo.
 

FAZ UM PIQUENIQUE

Portugal tem locais lindos para passar uma tarde sentados na relva, a olhar para uma paisagem fantástica, e fazer um piquenique é uma das melhores maneiras de almoçar ou ter um pequeno lanche com amigos ou família. Porém, no nosso país, com muita pena minha, não é um hábito. O que por aí não faltam são sítios bonitos com montes de flores e lagos, onde se passa um bom tempo, com aqueles que nos são mais queridos e, se juntar comida, então ainda melhor! A meteorologia diz para sair de casa, de que é que estás à espera?!

 
PRATICA EXERCÍCIO

Faça sol ou faça chuva, a verdade é que nunca está demasiado calor ou demasiado frio durante a Primavera, o que torna a temperatura ambiente ideal para praticar algum exercício, quer seja escondido em casa ou ao ar livre – ou num ginásio, mas quem é que tem dinheiro para isso hoje em dia e porquê fazê-lo quando está um dia tão bonito lá fora?! Dar uma corridinha ou uma caminhada ao fim da tarde é uma boa maneira de acabar o dia e acaba por ser uma atividade que, além de melhorar a saúde física do nosso corpo, também melhora a nossa saúde mental, deixando--nos mais relaxados e tranquilos.

 
LÊ UM LIVRO

Há quem adore ler, quem não goste muito e quem odeie, mas esta é uma das melhores maneiras de passar uma tarde de forma serena. Encontra um sítio bonito, sem muito movimento e que tenha (maioritariamente) sons da natureza, pega num livro que te pareça interessante e vais ver que, momentos depois, te vais sentir diferente – um bom diferente.

O ano passado, juntei alguns dos meus cadernos, peguei no meu telemóvel e nos fones e fui até um lago, onde me sentei a escrever, tanto no meu diário como pequenas histórias que me passavam pela cabeça e notei uma grande diferença no meu estado de espírito; talvez seja algo mais pessoal, mas a natureza faz bem à nossa mente e é algo com o qual nos deveríamos preocupar mais em rodearmo-nos.


FOTOGRAFIA

Todas as estações do ano têm a sua magia e, com a sua chegada, vem sempre algo fantástico e brilhante que vale a pena fotografar e a Primavera não é exceção. Para quem gosta de fotografar, esta é a altura perfeita para o fazer e as razões são óbvias e estão à frente de todos. É nestes meses que se vêm campos enormes, cheios de flores, em que as árvores se encontram mais bonitas e o que não há de faltar no céu são andorinhas e outras espécies de pássaros a cantarolar, felizes da vida.
 

Mas há tanto mais que podes fazer na Primavera: dá um passeio de bicicleta, alimenta os pombos e peixes da tua cidade, torna-te uma melhor pessoa, aventura-te, faz uma viagem, mesmo que seja só por um fim de semana, apaixona-te, aproveita, vai a festivais, conhece gente nova, deixa para trás os rancores e vive ao máximo! A Primavera são 92 dias, mas a tua vida são muitos mais!

E, quem sabe, nesta Primavera podes até mesmo juntar-te ao projeto A Cultura Mora Aqui, sendo que tu próprio/a podes expressar tudo aquilo que tens para dizer acerca dos temas culturais que são lançados todos os meses (exceto tópicos relacionados com moda ou beleza!); qualquer blogger/youtuber pode participar, basta enviar um e-mail para o acma.cultura@gmail.com.

Visitem também a página do Facebook e as publicações dos outros participantes, não se vão arrepender!

sábado, 18 de março de 2017

LOOKING THROUGH PEOPLE


Olá a todos, para (não) variar e apesar de ultimamente não ter tempo para fazer nada, juntei-me a outro projeto! LOOKING THROUGH PEOPLE tem como objetivo dar-vos a conhecer um pouco mais sobre os vossos bloggers e youtubers favoritos, através de uma entrevista.

Tive a oportunidade de falar com a Joana Isabel ou, como todos a conhecem, a Ju do Cor Sem Fim. Este post vai acabar por parecer um pouco mais uma conversa do que propriamente uma entrevista, pois foi isso que nós fizemos, de modo a que as questões e respostas surgissem naturalmente e não de uma forma forçada.

LOOKING

A Joana tem 20 anos, é de Portalegre, está a estudar Design e Animação Multimédia, e foi ela mesma que criou o projeto ACMA, que muitos de vocês devem conhecer. Tem o seu blog desde 2014, e têm visto-o crescer ao longo dos anos com muito carinho.

Começámos assim a nossa conversa e, a primeira coisa que lhe perguntei foi relacionada com o seu curso e a razão da sua escolha, à qual ela me respondeu que “queria ir para Arquitetura (foi o que sempre quis, desde pequenina)” mas que é muito nervosa e ansiosa e não se sentia capaz de sair dali; não queria parar de estudar e por isso procurou os cursos que poderia tirar em Portalegre e que se adequassem mais a si.

Nesta linha de conversa sobre empregos e aquilo que realmente gostávamos de fazer, descobri também que o um dos seus sonhos, relacionados com emprego, seria abrir uma pastelaria que ela mesmo tivesse projetado em Londres, “fora isso, uma coisa mais realizável, web design e produção de cinema.” Achei imensa piada à sua ideia de abrir uma pastelaria, até porque eu mesma penso nisso de vez em quando. Vocês sabiam que a Ju costumava fazer e vender bolachas? Pois é, “fazia bolachas de manteiga, e algumas invenções. Punha nutella, pepitas de chocolate, pedaços de noz, etc.” Também já tentou fazer cupcakes mas (tal como a mim) não lhe correu muito bem. No entanto continua a gostar de bolos, claro; quando era pequena adorava o bolo de chocolate da mãe, agora gosta imenso do bolo de iogurte e do de cenoura. Entretanto começou “a fazer outras coisas, coroas de flores, ursinhos de peluche e a vender livros usados."

Aconselhei-a a criar uma espécie de blog e a voltar a vender as suas bolachas e, conversa vai conversa vem, acabei por lhe perguntar aquilo que todos gostaríamos de saber. “Porque criaste o blog?”

“Eu comecei o Cor Sem Fim no verão de 2014. Todos os verões decidia fazer alguma coisa diferente e nesse verão decidi que ia começar a escrever para um blog. Foi quando terminei o 12º ano e ia começar o primeiro da universidade, ia separar-me de imensa gente, ia deixar de estar na escola que já me era familiar. Estava numa altura de escolhas, de decisões, de receios e quis trazer cor à minha vida. Eu já tinha tido dois blogs antes: um em que falava dos meus desenhos (acho que tem uns dois posts) e outro onde tinha desabafos. Comecei o Cor Sem Fim enquanto anónima, pois não queria que NINGUÉM soubesse quem eu era e o que escrevia. Fiz um plano com rubricas, tinha imensa pesquisa feita, tinha tudo delineado... e não consegui cumprir” (risos).

Com a curiosidade a chamar por mim, perguntei se já alguma vez tinha pensado em desistir do blog, talvez por falta de tempo, assuntos ou até mesmo de paciência, mas a Joana tem sempre assuntos para falar; no entanto por vezes desmotiva sem razão aparente e já chegou mesmo a pensar desistir do blog. “Às vezes tento fazer planos para ser regular e quando não os consigo cumprir e isso manda-me um pouco abaixo também. E tenho imensas ideias e imensas coisas que quero fazer e que quero falar, mas sinto um aperto e não consigo fazer tudo ao mesmo tempo.”

A autora do Cor Sem Fim contou também que adorava declamar poemas, “Gostava de lhes dar vida, de os interpretar como se fossem mini peças de teatro, de os musicalizar (…) por volta do meu 8º ano (já os) escrevia. Sempre escrevi muito, então à mão... cheguei a escrever posts de blog à mão num caderno!” Porque é que gostas tanto de escrever à mão? “Tem um cunho pessoal, para mim. organizo-me melhor com as coisas espalhadas em cima da mesa do que todas dentro de um computador.” Para organizares coisas relacionadas com o ACMA, por exemplo, agora com tantos participantes também organizas tudo à mão? Sim, as datas estão todas na agenda. As datas, o nome da pessoa, o tema que cada um vai abordar... No início bastava fazer uma lista, mas começaram a ser tantos participantes que passei a usar o dia a dia.”

É verdade! De mês para mês o projeto parece continuar a crescer e todos os meses há sempre mais gente a querer juntar-se ao ACMA. Não pude deixar a oportunidade fugir, e tive que lhe perguntar se estava à espera que a sua ideia tivesse tanto sucesso, não só da parte dos participantes mas também dos leitores. Ela mostrou-se bastante impressionada e disse que ficou “imensamente feliz” quando começou a receber os primeiros e-mails, pois não fazia ideia que o projeto iria ter tanta adesão, e que a cada dia que passa é uma felicidade acordar com tantos e-mails de pessoas que acarinham o seu projeto. Pessoalmente, penso ter tido tanto sucesso devido à sua característica cultural e diferente, e a Ju pareceu concordar.

“E que mais é que te faz feliz?”
“Uma boa gargalhada. Às vezes as coisas mais simples, com desviar o cabelo dos olhos, ouvir a chuva antes de adormecer, beber um chá, comer uma bolacha muito lentamente, deixar um bolo desfazer-se na boca, olhar alguém que gostamos nos olhos e ver que essa pessoa está feliz ou quando o meu gato vem ter comigo.”

“Não te arrependes de nada? Se pudesses voltar atrás, mudavas alguma coisa?”
“Acho que não te devias arrepender de muita coisa. se assim não fosse, hoje não estavas onde estás e não eras quem és. Algo mudado no passado e eu poderia não estar aqui a falar contigo, poderias nunca ter criado o teu blog... já viste o que era? Claro que há pequeninas coisas que me arrependo, mas ajudaram-me a ser quem sou.... é complicado dizer-te mas acho que são poucas as que mudaria.”

Perguntei-lhe se, de todas as suas publicações, havia alguma assim em especial que gostasse mais ou alguma com a qual não estivesse muito contente, e ela disse-me que as entrevistas são, talvez, as mais pessoais assim como as das viagens.”

E tens alguma sugestão para alguém que esteja a pensar criar um blog?”
“Serem sinceros a si mesmos, acreditarem no que dizem, terem confiança no que escrevem e apaixonarem-se todos os dias pelo seu trabalho.”

Descobri também que os seus artistas e bandas preferidos/as são Hozier, The Lumineers, Ben Howard e que agora anda a ouvir The Strumbellas; que prefere o frio ao invés do calor; e que gosta imenso de viajar, mas não o faz muito devido à situação da “agrofobia” (sobre a qual podem ler mais aqui). Descobri isso e muitas outras coisas, então e vocês, impressionados?

Há muito sobre as pessoas além do seu blog e daquilo que nos dão a conhecer e, de certo que hoje aprenderam imenso sobre a Ju e aquilo que ela tem a dizer. Espero que tenham gostado e que vejam os blogs abaixo indicados e as respetivas entrevistas. Se quiserem saber um pouco mais sobre mim, podem também visitar o blog da Ju e ver a entrevista que ela me fez!
 

quarta-feira, 1 de março de 2017

Há Luz Na Cidade: Teolinda Gersão


Teolinda
Publicarei uma foto com melhor qualidade em breve


Seria natural que, com o final do mês de Fevereiro viesse um post sobre o Carnaval, mas como eu estava nas aulas durante o desfile na Praça Do Giraldo, no centro da cidade, e não fui a nenhuma festa, decidi trazer-vos uma Apresentação Literária que sucedeu na Universidade de Évora, com a presença da escritora Teolinda Gersão que, este ano, teve a honra de ganhar o prémio Virgílio Ferreira 2017.

Nesta conferência, que antecedeu a entrega do prémio, deu-se uma maior importância à sua obra Prantos, Amores e Outros Desvarios que contém vários contos interessantes e alguns confusos, como é o caso de Alice in Thunderland.

Esta pequena apresentação teve duração de uma hora e meia, e começou com algumas palavras da professora de Estudos Literários, Cristina Santos (que se encontra do lado esquerdo da fotografia), que partilhou a sua opinião sobre esta e outras obras da escritora, demonstrando um grande interesse pelas mesmas.

Mais tarde, foi a vez do professor Rui ler o conto Enredos que teve uma especial atenção durante toda a conferência, o qual expressa as palavras de uma mulher que conta a história dos vizinhos da frente, e em como a sua amiga Antónia foi deixada pelo marido, que fugiu com a empregada brasileira que sempre pareceu amigável demais. Foram feitas várias questões relacionadas com este mesmo conto, nas quais os espectadores demonstraram as suas dúvidas relacionadas com estereótipos (como o da mulher brasileira roubar maridos alheios, ou o de o homem não querer que a sua esposa se arranjasse para não atrair outros homens), algumas das quais talvez sejam a razão para um senhor ter saído a meio da apresentação, por não conseguir não reclamar pela menção de alguns homens serem possessivos e controladores, às quais a autora da obra respondeu sempre muito animada.

Quando foi finalmente a sua vez de falar, Teolinda Gersão disse estar então muito grata pelo convite que lhe foi feito, pois gostou de ter regressado à cidade de Évora, especialmente a uma Universidade, pois relembrou-a dos tempos em que ainda era professora. Em torno do conto, e como mencionado anteriormente, a escrito falou sobre o machismo e a insegurança que alguns homens possam ter, no ponto de vista em que exigem que as suas mulheres fiquem em casa e não tomem conta de si mesmas para que não se ponham demasiado bonitas, mas que ele possam fazer e ter quem eles queiram. Fala assim do adultério, da culpa e das consequências da traição, apresentando algumas obras conhecidas como exemplo, entre as quais uma de Eça de Queirós, que termina de um modo diferente e moderno.

Após algumas trocas de palavras, Teolinda Gersão contou uma pequena e divertida história, que tinha como ponto principal a vontade de ler e o facto de muitas vezes o fazermos quando não é apropriado e, no meio de tantas gargalhadas, a frase que, para mim, se destacou mais em toda aquela história, foi quando a escritora disse que "ler é como ir num túnel escuro e parar numa paragem iluminada", porque afinal de contas é isso mesmo que ler é, a procura de algo.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

ACMA: Ser Eu Mesma Implicava Tanta Coisa


Haver

Este mês estou de volta ao projeto ACMA, criado pela Ju do Cor Sem Fim, como já devem de saber pelo meu último post. Decidi participar de novo, pois acho que esta é uma oportunidade de aprender mais e também falar-vos de outras coisas que, possivelmente, não trataria num outro post aqui no blog.

Se no mês passado o tema era (Re)Começos, então esta publicação não poderia levar outro caminho senão o que vem pela frente, tendo em conta que o tema deste mês é, nada mais nada menos, que Sentimentos.

Nunca fui muito boa a expressar os meus, porém gostava de o poder fazer; gostava de dizer aquilo que sinto; gostava de fazer aquilo que quero - agora estou bem melhor, mas raramente o fazia, tudo por causa deles, os outros. Nunca fazia ou dizia aquilo que realmente queria porque tinha medo do que os outros poderiam pensar, tinha medo daquilo que achavam de mim. Medo? Bolas, eu sentia-me apavorada. Eu queria ser perfeita e queria que toda a gente gostasse de mim, queria integrar-me e, à medida que o tempo foi passando e me tentei moldar àquilo que eles preferiam, àquilo que eles poderiam aceitar, acabei por me esquecer de mim e deixar de parte o que realmente me fazia feliz - ser eu mesma.

E ser eu mesma, implicava tanta coisa. Durante algum tempo centrei-me em esconder quem eu era por perceber que me achavam tonta por coisas que eu dizia, fazia ou até por coisas que gostava; tentei mudar porque me sentia envergonhada por ser diferente, por gostar de coisas que eles não gostavam, por não ser perfeita. Esse foi um dos grandes erros, tentar mudar para servir nos padrões, uns criados por pessoas que nem sequer gostavam de mim e outros por pessoas a quem eu nem sequer tinha razão para querer agradar. E mudei. Mas não mudei por eles, mudei por mim.

Não sei quando, como nem porque é que aconteceu, mas finalmente comecei a aceitar-me da maneira que sou, e finalmente percebi que não importa o que os outros pensam ou querem, importa sim aquilo que eu penso e aquilo que eu quero. E foi aí que deixei de pensar nos outros, foi aí que comecei a pôr-me em primeiro lugar, e deixei de me preocupar com aquilo que os faria feliz. Comecei a agir da forma que queria, dizer o que me apetecia, e deixei de "gostar" e vestir as coisas que lhes preferiam. Tornei-me livre, e garanto que foi uma das melhores decisões da minha vida: deixar as opiniões dos outros para trás e concerntrar-me em mim mesma. Como diria a minha primeira banda preferida (D'ZRT), vesti a força de vontade, despi toda a falsidade, e foi assim que consegui.

Sinto-me tão mais feliz, confiante e despreocupada agora que não quero saber do que têm a dizer; e espero que, quem quer que seja que esteja a fingir ser uma pessoa que não é, que pare. Todos conseguimos ser nós mesmos, basta sermos um pouco egoístas e deixar de pensar nos outros, basta pensarmos em nós. Já não me importa se acham as minhas ideias tontas, se acham que algumas das minhas atitudes são enfantís ou se não lhes agrada a maneira como me visto; o que me importa é que eu gosto das minha ideias, das minhas atitudes e da maneira como me visto; e isso é o mais importante.

Portanto, se para ti seria importante participar neste projeto sabe já que também o podes fazer! Basta enviares um e-mail para o corsemfim@gmail.com!

 Visitem também outros blogs que participaram neste projeto!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

TAG: OITO COISAS


Gostar

Tenho visto aqui e ali alguns blogs a responderem a uma tag chamada 8 COISAS, que consiste em que o blogger dê oito respostas a oito tópicos diferentes - tópicos esses que se devem (bom, podem) moldar a cada blog. Após ser nomeada pela Carlota e agora pela Bia, vou finalmente meter as mãos à obra. Tudo pronto?

8 PONTOS DA MINHA BUCKETLIST
Escrever um livro
Viajar pelo mundo
Tentar a minha chance no cinema
Ir ao MEO SUDOESTE
Ter a minha própria família
Iniciar o meu próprio negócio
Encontrar o verdadeiro amor
Nirvana

8 DESTINOS DE VIAGEM
Veneza, Itália
Paris, França
Dublin, Irelanda
Praga, República Checa
Porto, Portugal (eu sei, eu sei)
Barcelona, Espanha
Dubai
Estados Unidos da América

8 LIVROS QUE RECOMENDO
Duas Vidas, de Jessica Thompson
Só No Escuro Podes Ver as Estrelas, de Cristina Boavida
O Pacto, de Jodi Picoult
A Rapariga No Comboio, de Paula Hawkins
Divergent Series, de Veronica Roth
Se Eu Ficar, de Gayle Forman
Espera Por Mim, de Gayle Forman
A Melodia do Adeus, de Nicholas Sparks

8 COISAS QUE GOSTO
Música
Perder-me nos livros
Meus amigos
Dormir
Silêncio
Estar sozinha
Sentir-me amada
Noite

8 COISAS QUE DETESTO
Baratas
Quando alguém pensa que é melhor que eu
Parte da minha personalidade
Não poder fazer aquilo que quero
Grão e feijão
Aranhas
Sentir-me deixada de parte
Ter que beber para me libertar

8 FILMES/SÉRIES QUE RECOMENDO
Teen Wolf, série (duh)
Eat, Pray, Love, filme
The Vampire Diaries, série
Broke Girls, série
Amigos Improváveis, filme
12 Anos Escravo, filme
Todos os filmes de Harry Potter
Pretty Little Liars, série

8 COISAS QUE DIGO
Ai minha santa alma de Deus
Meh
Adoro-te
Não é nada
'Tás a gozar!
Não posso
Okay...?
Tenho sono

domingo, 5 de fevereiro de 2017

TOP 5 Músicas Do Momento

Se há coisa em que penso que todos podemos concordar é que 2017 entrou em grande e chegou com músicas fantásticas (isto para não falar da divindade que o ruivinho do Ed Sheeran nos trouxe com a sua shape e o seu castle, que nem vou mencionar neste top porque é demasiado top para isso). Hoje, no quinto dia do mês, trago-vos o meu top 5 das músicas do momento - digo já de passagem que provavelmente está tudo no Spotify top 50, mas qualquer das maneiras aqui vai!


Para começar, acho que Scared To Be Lonely do hottie Martin Garrix com a Dua Lipa, é perfeita! A música é fantástica e transmite exatamente a sensação daquilo que o compositor queria que sentíssemos, uma espécie de leve nostalgia mas que, ao mesmo tempo, nos dá vontade de ser livre e nos deixarmos levar pelo momento. A verdade é que sempre que oiço a música tenho vontade de fechar os olhos e começar a dançar.


Say You Won't Let Go do James Arthur, outra! Esta toca-me no coração sempre que a oiço. Nunca fui grande fã do cantor, ouvia a sua versão da Impossible quando passava na rádio, mas nunca me deu vontade de procurar outras canções dele e por isso nunca ouvi o seu primeiro álbum, mas desde a primeira vez que ouvi que esta música que se tornou uma das minhas favoritas.


Não conhecia Calum Scott, e para falar a verdade, nem sei se tem uma boa carreira para trás ou se este é o seu primeiro single, mas caso a segunda opção seja a correta, então tenho que lhe dar os parabéns pelo extraordinário tema que é Dancing On My Own. Tenho a certeza que não me engano quando penso que esta é talvez uma das poucas músicas que agrada a quase toda a gente, e por gostar tanto dela não a podia deixar de fora deste top 5.



Sou péssima  no que toca a definir o género musical de uma melodia qualquer e por isso não faço ideia se a Se Não Acordar Amanhã do Piruka é hip hop (isto não é um estilo de dança?), rap ou whatever, mas se há coisa que sei é que tem alma, e é isso que gosto e procuro numa música. Tornou-se uma das músicas que mais oiço ultimamente e, bom, não é o meu jam, mas bem que podia ser. Não Se Passa Nada é também muito boa.


Ainda no português - do Brasil, neste caso -, a Deu Onda é a música do momento que mais me faz dançar. O MC G15 era completamente desconhecido para mim (e kinda que continua a ser) mas, e apesar da música ser até um pouco repetitiva, penso que fez um bom trabalho! Depois da Amar não é Pecado e da outra que era qualquer coisa along the lines "tetete terererere" à uns quantos anos atrás, que pensei que me tinha fartado de música brasileira, mas é claro que me surpreendo sempre.

A verdade é que gosto de todos os estilos de música, uns mais do que outros - como é óbvio, mas acho importante uma pessoa ser capaz de apreciar música clássica num momento e ter paciência para abanar o capacete noutro, ao som das músicas barulhentas e mexidas que passam nas discotecas. A diversidade musical no mundo inteiro é infinita, e eu admito que me junto um pouco à maioria e normalmente oiço aquilo que mais está na "moda", mas todos devemos divagar e perdermo-nos um pouco em géneros musicais que nos sejam desconhecidos; pois não só podemos aprender a apreciar algo novo, como também acabamos por aprender qualquer coisinha, por mais pequena que seja.

Bom, este foi o meu top 5 das minhas músicas preferidas do momento! E as vossas, quais são? Até breve!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Oath To You



We're never good enough to tell people how we truly feel about them and, and that's something that just keeps pushing us all away slowly, even if we don't want to. Sometimes we try, and try and try but for some reason things simply don't work out.

Faith and kindness guide us through our way and that shifts all kinds of love, and friendship is the most precious of them. Love, my friends, is the only thing that keeps us all together and doesn't let us forget how worthy life actually is. Friendship is probably one of the most controversial things in the whole world, the rudest yet kindest way of loving and being loved; because there is no one other than your best friends who will tell you the coldest truths and spoil you with the warmest surprises; there is no one other than your best friends who will always support you no matter what you have done or how many times you've fought.

And you'll fight a lot. You'll hurt each other many times unintentionally and cry over simple stuff, but in the end you'll always be there to love the other in the purest way of love. This is my oath to you friend, I promise you that no matter how many times you hurt me, how many times you disappoint me or I disappoint you, our spirits will always stick together. No matter what.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Há Luz na Cidade!


Municipio
Foto retirada das imagens do Google
"Santos da casa não fazem milagres", é o que me lembro de ouvir sempre que visitava um local novo, diferente e que achava lindo, comparando-o à cidade pacata em que cresci, vendo sempre o bom nesses mesmos sítios e deixando as belezas de Évora para trás. Enquanto pequena (bom, lá para os 10/14 anos - já não era assim tão pequena), nunca achei muita piada ao facto de viver numa cidade cheia de monumentos e museus, pois acabava por ser chato e aborrecido para alguém da minha idade. Honestamente, achava uma seca - e nem era por ser no Alentejo e estar calor! Porém, ao longo dos anos fui crescendo e, à medida que os meus interesses começaram a mudar a minha curiosidade e fascinação pelo pequeno território foi aumentando, dando-me a conhecer histórias, cantos e recantos desta tão fantástica cidade onde vivo.

É por isso que hoje estou aqui, e hei-de estar nos próximos meses, para apresentar não só ao país mas também ao mundo aquilo que Évora tem de melhor; para mostrar que vale a pena passar por estes lados. Todos os meses, no último dia do mês, farei um post onde partilharei aquilo que a cidade tem para visitar, eventos especiais que possam haver na Évora Atual, e talvez fale até mesmo da história daquilo que por aqui se passa. Porque a verdade é que nós, Alentejanos, temos a fama de ser lentos, mas quando metemos mãos ao trabalho é para trabalhar a sério, e com a quantidade de história que este sítio tem o que não falta é sobre o que falar! No entanto, prometo tocar apenas nos pontos mais importantes, aqueles que realmente valem a pena.

No fundo, com este novo espaço aqui no blog, quero dar-vos a conhecer Évora para que tenham curiosidade de vir visitar uma das cidades mais históricas e belas deste nosso Portugal. Quero mostrar-vos aquilo que todos aqui temos para dar, e quem sabe, vocês mesmos possam dar a conhecer a outras pessoas aquilo que aprenderam.

E bom, como eu sou mesmo Alentejana e tenho a fama de ser lenta e preguiçosa, vou deixar este post por aqui que já se está a alongar demais, e deixar-vos ir à vossa vida. Estejam atentos, pois no final do próximo mês vou partilhar convosco algo novo, lindo e fascinante que Évora tem para dar. Não percam!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Pelas Ruas de Setúbal

Este mês, tal como em todos os outros, fui a Setúbal e decidi aproveitar para dar um passeio. Tinha imenso tempo livre e por isso levei a minha câmara fotográfica para tirar algumas fotos de algo que me agradasse; deixo aqui algumas delas para vocês verem. Todas as fotos são mais ou menos da mesma zona, as ruas da baixa da cidade, ruas essas que antigamente se enchiam de pessoas todos os dias para irem às compras ou simplesmente passear, hoje em dia - após a abertura do centro comercial Alegro, a baixa já não é o que era, encontrando-se um pouco vazia e com lojas fechadas em na maioria das ruas.









quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A Culpa É Dela


Culpa

Sempre a amaste, eu sei que sim, e também sei que sempre a amarás, mesmo que ela tenha partido o teu coração em mil pedaços. É inevitável. É inevitável não sentires o teu coração apertado quando vês fotos de outro no seu instagram, é inevitável não deixares as lágrimas magoadas rolarem pela tua face quando as vossas memórias te vêm à cabeça, é inevitável não partires mesas e cadeiras quando a encontras na rua e ela te sorri normalmente, como se nada se tivesse passado.

O que não é inevitável é derrobares-me e dizer-me o quão inútil sou por não ser como ela, é chegares a casa bebado às tantas da madrugada porque não te posso dar aquilo que ela te fez perder, é deixares-me sozinha dias e dias a fio para ires ter com outras com quem nunca vais querer estar. O que não é inevitável, é bateres-me todos os dias antes do jantar, enquanto estás meio atordoado por tê-la visto nos braços de outro que agora a ama como tu um dia amaste, e a quem ela ama mais do que algum dia te amou a ti. Mas amor, tenho que te dizer, a culpa não é minha, muito menos tua; a culpa é dela. A culpa é dela. A culpa é dela, dela, dela. A culpa é dela por não te ter amado o suficiente. A culpa é dela por te ter deixado e partido o teu coração. A culpa é dela. A culpa é dela de tu me tratares assim. E é por isso que eu te perdou, a ti, quem me marca violentamente com o cinto ou que à força faz amor comigo. Eu perdou-te, meu querido, porque te amo. E ao contrário dela, sempre vou amar.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Efeito Mandela, conhecem?




Vigor

Kit-kat ou Kitkat? Luke, I'm your father ou No, I'm your father? Mona Lisa sem expressão ou com um pequeno sorriso? Senhor do Monopólio, com ou sem monóculo?

Nunca fui muito do tipo de pessoa de procurar teorias da conspiração, sou mais daquelas que senta e ouve os outros a falar e a apresentar provas; no entanto, esta teoria em especial fez-me dar voltas à cabeça. Mandela Effect, ou teoria do efeito Mandela, é uma das coisas mais estranhas que eu já vi e, por muito irrealista que possa parecer, acredito nela.

Já alguma vez vos aconteceu lembrarem-se de algo e depois descobrir que isso nunca foi assim ou que nunca existiu? Como o facto de que Kit-kat nunca foi realmente Kit-kat mas sim Kitkat? Quer dizer, eu tenho quase a certeza que a marca levava um hífen! Ou que o Senhor do Monopólio tinha um monóculo mas a verdade é que nunca teve? Pois é, mas isto tem tudo uma explicação, ou melhor, uma teoria.
Vigor

O efeito Mandela não está ligado apenas a um indivíduo, mas sim a um conjunto de pessoas; ou seja, dá-se quando várias pessoas diferentes têm uma espécie de memória falsa comum sobre um evento ou objeto. Não é como se eu tivesse deixado o telemóvel em cima da mesa e não está lá, mas sim como eu me lembrar que o Nelson Mandela morreu na prisão e afinal está vivo, pois este segundo ponto é visto por mim e por mais gente.

Nem toda a gente acredita nesta teoria, até porque muitos não se lembram das mudanças relatadas, mas eu faço parte do grupo que fritou a cabeça com estas informações.

Talvez não me esteja a fazer esclarecer, mas uma imagem vale mais do que mil palavras, certo? Então vamos lá! Vou apresentar-vos alguns dos fenómenos mais conhecidos.

Uma das frases mais famosas no mundo do cinema é a frase "Luke, I'm your father." de Star Wars, havendo até imensos memes e vídeos, incluindo uma publicidade qualquer na televisão portuguesa a brincar com a fala; no entanto, se forem ver o filme de novo a personagem diz "No, I'm your father."



Estranho, certo? Eu nunca fui grande fã d'A Guerra da Estrelas e por isso nunca vi o filme, mas até eu sei que "Luke, I'm your father." era a verdadeira fala.

Efeito


Os pontos do Senhor do Monopólio e do Kit-kat (desculpem, mas vou continuar a escrever assim) são bastante semelhantes: o senhor tinha monóculo e o chocolate tinha hífen. Lembrem-se ou não desta pequena mudança, a verdade é que procurem o que procurarem não vão encontrar evidências que provem estes pontos, a não ser pessoas a comentar sobre o assunto como o estou a fazer. Os históricos destas empresas não revelam qualquer mudança a este nível, referindo que o boneco nunca teve monóculo e o chocolate nunca teve hífen, apesar de muita gente ter a certeza que se lembram disso. 
Efeito
Eu tenho uma amiga chamada Catarina, e a certa altura demos nomes de chocolates a todas nós e ela passou a ser a Kit-Kat, pelo nome, e eu lembro-me claramente de escrevermos Kit (hífen) Kat quando falávamos com ela! E o mais estranho é que, e não reparei até dar de caras com o efeito Mandela, começámos a chamá-la de Kitkat de um momento para o outro. Coincidência?

Efeito

Outra pequena mudança, não tão notável, está na conhecida pintura Mona Lisa. É impressão minha ou ela tem um leve sorriso nos lábios? Aquilo não estava ali antes!

Quero também deixar aqui o exemplo de uma passagem do filme Forest Gump. Se já viram o filme sabem que ele conta a sua história de vida a quem quer que seja que se sente a seu lado, e num desses momentos ele diz Mom always said: Life is like a box of chocolates- oh, esperem, na verdade o tempo do verbo está errado, na "nova" versão do filme Forest diz Mom always said: Life was like a box of chocolates. Alguma coisa está errada, não?



Estes foram alguns dos exemplos mais conhecidos, deixo-vos mais numa pequena lista em baixo.


Efeito

A cauda do Pikachu era preta ou sempre foi amarela?

Efeito

Afinal qual é o nome original da série?

Efeito

Curious Geroge, com ou sem cauda?

Efeito
No filme "A Branca De Neve e os Sete Anões" a rainha diz "Magic mirror on the wall" em vez de "Mirror mirror on the wall".


A minha primeira reação quando descobri estas coisas foi insana. O que é isto? O que é que se está a passar? Qual é a explicação para uma coisa destas acontecer? A verdade é que não há uma resposta exata, apenas teorias. Ambas as explicações são bastante "irrealistas" para quem não acredita neste tipo de coisas, mas a verdade é que este assunto em especial fez-me pensar bastante sobre qual seria a resposta certa para isto.

Uma das teorias é a possibilidade de viagem no tempo, referindo que as marcas e/ou filmes foram feitos de uma maneira (que seria a original, a qual as pessoas se lembram inicialmente), mas que alguém voltou atrás no tempo e fez algo que modificou a maneira de ser das coisas - visto que qualquer ato mínimo que façamos pode alterar a linha do destino de qualquer outra pessoa.

A outra teoria é a da existência de realidades paralelas, de modo a que estas realidades se cruzam a certo ponto e aí conseguimos ver estas pequenas diferenças. Há ainda quem diga que estamos constantemente a alternar entre as realidades em que vivemos.

Eu não sei muito bem no que acreditar, só sei que as provas do antes vs agora dão comigo em maluca. Mas então e vocês, no que acreditam?

sábado, 14 de janeiro de 2017

ACMA: TOP 5 APPS Para (Re)começar



Estou de volta, e desta vez prometo não vos maçar com textos sentimentais de como me sinto, até porque vos trago a conhecer o projeto A Cultura Mora Aqui! Este, é um projeto que já conhecia de outros blogs e que procura uma maior diversidade na blogosfera, abordando diferentes temas todos os meses, uma forma mais prática de dar a conhecer aos leitores que há mais para falar em blogs para além de moda e maquilhagem. Sabe mais aqui.

Estamos no início do ano, e não poderia haver melhor tema do que aquele que nos fala de (re)começos, até porque é isso que - acredite-se ou não na lenga-lenga - o ano novo, vida nova pretende transmitir. Por isso mesmo, hoje vou dar-vos a conhecer algumas apps que podem mudar o vosso ano (ou pelo menos o início dele). Não é segredo para ninguém que todos dizemos que, assim que um novo ano começa planeamos mudar a nossa vida, mas a verdade é que isso raramente acontece; no entanto, com alguns dos exemplos de apps que tenho para vos mostrar, vai ser bem mais fácil não quebrar algumas das promessas.

Quantos de nós prometemos que vamos passar a ser saudáveis e a praticar exercício todos os dias? Quantos de nós cumprem com essa promessa? Eu não, ou pelo menos não até agora. No início deste ano fiz uma lista daquilo que pretendia fazer, e rapidamente me pus na internet à procura de respostas, e foi aí que dei de caras com a app 5k Runner. Encontrar esta aplicação foi como um presente caído do céu. Esta app é ideal para quem quer começar a correr, mesmo para aqueles que não praticam exercício físico; 30 minutos por dia, três vezes por semana, durante oito semanas; pode até parecer cansativo, mas o melhor da app é que não se limita a acompanhar as pessoas a correr, pois durante os 30 minutos o passo é alternado entre andar e corrida, para que o atleta se habitue ao exercício mais facilmente. Além disso (e pessoalmente esta é a melhor parte), temos a possibilidade de ouvir música no nosso telemóvel ao mesmo tempo que a app funciona. Esta é uma trial version, que dura apenas duas semanas, mas se gostarem da app podem comprar o acompanhamento para as oito semanas completas por 3,49€.

Como se tem que gastar dinheiro para umas coisas (como na app acima referida), tem que se ganhar noutras, e a Depop é perfeita para isso! Esta funciona como um género de olx mas em todo o mundo, é simples: fotografam o que quer que seja que esteja em boas condições (vende-se maioritariamente peças de roupa, mas também existem muitos livros, maquilhagem, electrónicos, peças de decoração para a casa, etc), colocam na app com o preço de querem e já está! É uma aplicação que eu já usei durante algum tempo, mas confesso que era mais para ver os produtos dos outros do que para vender os meus. Acreditem ou não, vão perder-se nos perfis das pessoas.


Agora, se forem todos tão esquecidos e desorganizados como eu, a próxima app vai ajudar-vos: Reminder, é exatamente aquilo que o seu nome refere; ajuda-vos não só a lembrar aquilo que têm para fazer, como vos diz as horas a que o devem fazer. Eu tinha bastante dificuldade em organizar o meu tempo, mesmo tendo tempo que sobrasse para fazer tudo o que queria, assim que instalei a aplicação e dividi tudo num horário começou a ser tudo muito mais fácil.


Já vos falei aqui do Wattpad, e como sabem, é uma das minhas apps preferidas por isso não poderia ficar de fora deste top 5. Para quem gosta de ler, mas não tem muito dinheiro para comprar livros, esta app (ou website) é perfeita para isso. Com milhões de livro para ler, o Wattpad permite a escritores amadores (como eu ou vocês) publicar os seus próprios trabalhos gratuitamente e dá aos outros a ler, tal como nós também podemos ler qualquer que seja a história que nos agrada. Não é uma app financiada, e por isso os autores não recebem nada, mas é muito bom para quem quer partilhar os seus trabalhos ou começar a fazer algo nesta área.


Para terminar, quero falar-vos da aplicação do Blogger. Por mais estranho que pareça não há muita gente a saber da existência desta app, mas vou dar aqui uma pequena introdução. Para falar a verdade a app não dá para fazer grande coisa para além de escrever publicações, editar ou ver os próprios posts já publicados, mas é claramente aquilo que mais importante é num blog, as publicações. Para visitar qualquer que seja o blog é bastante fácil aceder através do browser, já para publicar - pelo menos eu - no telemóvel é horrível; é nisso que a aplicação ajuda, além de que ainda nos dá a possibilidade de carregar imagens. Confiem em mim, não há melhor sitio para escrever as minhas publicações do que a Blogger, mesmo que não publique através dela.

E pronto, este é o meu top 5 de apps preferidas para melhorar este novo ano de 2017, espero que melhore também o vosso!

Para quem quiser saber mais informações sobre o projeto, ou até mesmo participar, basta enviar e-mail para corsemfim@gmail.com


A Normal Journal - Parte 1





I  don't think I ever thought (or maybe I did, who knows) he would be the one, until a couple years back, I guess. It's just that everytime I see him and he smiles at me or something my heart freaks out and starts beating like I had just seen the man of my life. It's clear that I didn't.

He's not the man of my life, although I wish he was.

It doesn't really matter. At the end of the day it's always nice to meet him.







Criei um Journal já faz algum tempo. Não sei bem porquê, mas vi um daqueles livros "Destrói este Diário" e decidi fazer eu mesma o meu próprio diário - se bem que não funciona tanto como um diário, mais como uma espécie de bloco para quando estou aborrecida, triste, stressada ou zangada; está sempre comigo e é nele que descarrego, portanto é algo mais pessoal e que só faz realmente sentido para mim (maioritariamente).

Estas são três das (poucas) páginas já completas, onde simplesmente me exprimo a mim mesma quando penso que não vale a pena postar no blog ou escrever no meu diário. Pode parecer insano, mas às vezes uns simples rabiscos dizem mais que mil palavras. Os meus com certeza são desse tipo.










segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Filmes e Séries: Teen Wolf

Se há algo que ocupa o meu tempo tanto quanto estudar e ler é, sem margem para dúvidas, ver filmes e séries. É daquelas coisas que realmente me agrada fazer, que me contenta, não só pelo facto de que não tenho realmente que fazer alguma coisa, mas penso que também esteja relacionado com a conecção que há aos livros e à ideia da criação de um mundo ficticio, algo que me leve para longe da realidade durante um espaço de tempo e que me faça imaginar coisas boas, novas e diferentes.

Por isso, hoje estou aqui para vos falar de uma série que tenho acompanhado já faz alguns anos e que rapidamente me viciou nela, tornando-se a minha favorita, não só pela história em si mas também pelo fantástico trabalho feito por todos os atores, equipa de produção, os efeitos especiais, etc. A série que vos vou apresentar é, Teen Wolf!


Teen Wolf, para quem não conhece mas deveria conhecer, é uma série na qual a história se baseia não só em torno da personagem de Tyler Posey, como também de todo o seu grupo de amigos e Beacon Hills, a cidade em que vivem. Para mim, devido à enorme paixão que tenho sobre a série, é-me um pouco difícil falar sobre ela sem fazer spoiler, mas prometo que vou tentar deixar o máximo possível de lado.

A história é iniciada por dois amigos, Scott e Stiles, que vão até à mata da cidade a meio da noite, onde se "perdem" um do outro e Scott acaba por ser mordido pelo que pensa ser um animal. Nos dias seguintes, e após uma data de eventos, Stiles diz acreditar que Scott foi mordido por um lobisomem e que agora se está a tornar num. A série tem, como factor cliché, o amor de Scott com a filha de um homem que à muito caça os da sua espécie; mas não se deixem enganar, pois esta série trata tudo menos o que estamos habituados a ver em séries de lobisomens ou até mesmo vampiros (acho importante dizer, desde já, que estes últimos não aparecem - pelo menos até agora). Apesar da personagem principal ser, claramente, Scott MCcall, a história fala um pouco em geral dos acontecimentos da cidade onde vivem, das pessoas que os rodeiam e, com o passar do tempo, mais personagens se juntam a este grupo que, de alguma forma, tenta sempre salvar toda a gente.

Teen Wolf está atualmente na sexta e última temporada, onde nada poderia ser mais diferente do que se passou na primeira, mas é isso que tanto adoro: o facto de Jeff Davis, o produtor de toda a história, ter uma imaginação tão boa ao ponto de conseguir fazer um trabalho tão fenomenal quanto este; um trabalho que se iniciou em 2011 e que, apesar de não terem sido criadas grandes expectativas, foi ganhando um conhecimento internacional como nunca se tinha pensado - o que é possível que tenha sido um pouco devido aos atores, no meu caso, para ser completamente honesta, comecei a ver Teen Wolf simplesmente pela presença do ator mais lindo, fofo, cute e perfeito do mundo Dylan O'brien, mas não consegui parar.

Apesar do romance estar claramente na série, o que esta mais retrata é, no fundo, a amizade e aquilo que estamos dispostos a fazer para ajudar aqueles de quem realmente gostamos, e penso que é isso que me faz gostar tantos desta série sobrenatural, o facto das personagens principais terem realmente um bom coração e quererem ver todas as pessoas bem.

Queria dizer-vos muito mais, contar-vos a história da primeira temporada, da segunda, da terceira (a minha favorita), da quarta, quinta (com o Cody Christian, de Pretty Little Liars!), da sexta (que ainda nem sequer terminou), mas odeio que me façam spoiler por isso também não vou fazer. Aconselho apenas a quem nunca viu que passe num site na internet, ou num programa que tenha na televisão, e que experimente a ver a série, garanto-vos que vão gostar!

Deixo-vos aqui com mais algumas informações atuais:

Teen Wolf (2011-/) por Jeff Davis, MTV


Tyler Posey interpreta Scott MCall, a personagem principal. Vive sozinho com a mãe, que é enfermeira, e tem o seu melhor amigo de longa data, Stiles Stilinski.


Stiles Stilinski é representado por Dylan O'brien e, digamos, é o cérebro da série. Vive sozinho com o seu pai (maioritariamente, exceção à temporada seis), e é bastantes trapalhão, apesar do jeito que tem para resolver casos misteriosos.


Lydia Martin, ou Holland Roden,é também ela uma das personagens mais importantes de toda a história. Apesar de parecer uma personagem um pouco secundária no inicio, o papel de Lydia acaba por ser crucial para os desenvolvimentos que vão suceder.

E pronto, deixo-vos aqui tudo o que se pode dizer! Mas então e vocês, que séries vêem? Teen Wolf está na lista? Se sim, digam-me qual a vossa temporada e personagem preferida!